sasasasaArte em ferro forjado

O nome vem do chamado do encontro entre dois elementos, o Fogo e o Ar. Um Sopro de Vento contínuo na forja, permite de manter uma alta temperatura, possibilitando assim, ao ferro de esquentar e se tornar maleável.

A forja é um tipo de forno utilizado para aquecer os metais a serem trabalhados por um ferreiro.

O processo de forjamento por meio da forja ainda se parece com aquele consagrado na Idade Média, segundo o qual o metal deve ser aquecido, martelado sobre uma bigorna e, ao fim, temperado em líquido.

O material utilizado para aquecer o ferro é o carvão, seja ele de origem vegetal ou mineral.

O sopro de Ar constante eleva a temperatura do carvão, permitindo ao metal de se tornar maleável, e assim pode ser moldado através do martelo e da bigorna, criando formas novas aos desejos e necessidades do ferreiro.

Ao final, o ferro vem resfriado dentro de um líquido, seja óleo ou água. Este processo é chamado de tempra. Ela permite ao metal de esfriar rapidamente, tornando assim a peça mais dura e resistente.

Essa mágica alquimia se completa entre os 4 elementos: Fogo, Ar, Terra e Água.

O quinto elemento é o ferreiro, o ser humano que com suas habilidades manuais desenvolvidas na própria evolução, permite a transformação do metal bruto em outras formas.

O ferreiro é uma figura fundamental na história da evolução humana, pois as primeiras ferramentas criadas do ferro, eram utilizadas no campo, nas tarefas de agricultura, plantio e colheita.

A enxada, por exemplo, é uma ferramenta fundamental para poder preparar a terra para o plantio de alimentos.

Forjar o ferro é uma forma de fortalecer esse metal, tornando-o menos propenso ao processo de oxidação, a ferrugem.